A atual crise na economia mundial e o Brasil

20

Por Carlos Araújo @comexblog

Esta discussão foi iniciada com meus alunos no curso de comércio exterior, e vai terminar aqui. Vejam as notícias abaixo:

Notícia do UOL (1): Agências cortam rating e AIG fica perto do colapso – As três principais agências de classificação de risco do mundo rebaixaram os ratings de crédito da American International Group (AIG), frustrando as esperanças de se salvar uma das maiores seguradoras do mundo em meio à escalada da crise financeira.

Notícia do UOL (2): Incerteza sobre gigante de seguros AIG derruba Bolsas mundiais – O destino do gigante americano de seguros AIG, que, assim como o banco de investimentos Lehman Brothers, pode se ver obrigado a pedir concordata, estremece nesta terça-feira os principais mercados financeiros do mundo, já abalados na véspera.

Notícia do UOL (3): Lehman Brothers anuncia que vai pedir concordata - O Lehman Brothers anunciou que pretende pedir concordata na Corte de Falências do Distrito Sul de Nova York. O quarto maior banco de investimentos dos EUA informou que seu conselho de administração autorizou o pedido de concordata a fim de proteger seus ativos e maximizar seu valor.

Notícia do UOL (4): Crise nos EUA deve afastar investidores e ameaça até o PIB do Brasil – A crise financeira nos Estados Unidos, agravada pelo pedido de concordata do Lehman Brothers, o quarto maior banco norte-americano, deve impedir que a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) retome os 52 mil pontos nesta semana. A avaliação é da economista da Tendências Consultoria Alessandra Ribeiro.

Notícia do Terra (4): Alimentos aceleram queda e inflação pelo IPC-S diminui – Refletindo um ritmo mais forte da queda dos custos de alimentos, a inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) voltou a desacelerar na segunda prévia de setembro. O indicador teve variação positiva de 0,04%, seguindo a alta de 0,20% registrada na primeira leitura do mês, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

Notícia do Terra (5): Queda da Bovespa supera 6% por colapso de banco nos EUA – A Bolsa de Valores de São Paulo ampliava as perdas na tarde desta segunda-feira, seguindo a tendência de Wall Street, que refletia o temor de quebradeira no sistema financeiro dos Estados Unidos. Às 16h41, o Ibovespa apontava queda de 6,88%, aos 48.786 pontos. O giro financeiro era de R$ 5,8 bilhões.

Como podemos ver, as bolsas mundiais estão refletindo todos os problemas internos dos EUA. E a Bolsa e o câmbio já começaram a dar sinais negativos, apesar do ministro Mantega falar que estamos “preparados”. Entretanto, a Inflação está em ritmo de queda, como podemos ver a pesquisa da Fundação Getulio Vargas.

Então, uma pergunta para discussão: Devemos ou não ficar nervosos com esta crise dos EUA? Dê a sua opinião.

Compartilhar.

Sobre o Autor

Professor Universitário e Despachante Aduaneiro. Especialista em Logística Aduaneira e Procedimentos Operacionais. Editor de Conteúdo do comexblog.com. Articulista do site logisticadescomplicada.com

  • zwirchmayr

    isso é muito chato !

  • Ernesto José

    isso é fruto das corrupções, das mentiras e das proprina. Este dinheiro que é deviado, é esse dinheiro que está faltando agora.

  • Andre Vellozo

    É evidente que uma crise internacional é sempre preocupante, fazendo parte nosso Brasil do emaranhado sistema financeiro e comercial. Teorias e comentários cabeça a parte, desejo sinceramente que nosso país não sofra em alto grau as consequencias. Como um cidadão que acompanha a vida politica do nosso presidente, devo registrar aqui que o eleito vai a partir de agora mostrar seu talento. Governar com o globo em crescimento e consumindo foi o que ele viu até agora. Vai que é tua Lula.

  • Edson Oscar

    Não diria nervoso. O que pode ocorrer é uma desaceleração no ritmo de crescimento no Brasil. Como o causador principal dessa crise foi um acumulo de dividas no setor imobiliário americano e que gerou a falência de grandes bancos, muitas empresas, até mesmo brasileiras, deixarão de efetuar financiamento devido altas taxas cobradas por esses bancos que tentarão recuperar suas forças monetárias.

  • http://www.speed-es.com.br Ricardo Gonça

    Na minha opnião não!! Como estamos todos acompanhando a crise do USA, acredito que o Brasil está mais forte que no passado e consequentemente essa força extra que o nosso país vém mostrando ajudará no combate, sentiremos a crise mais não com tanta intensidade como no passado!!!

    O Banco Central está mais forte, com reservas que chegam a mais de 200 bilhões de dolares para segurar essa "pneumonia americana!!!

  • Vinicius Casagrande

    A crise nos USA pode afeter na economia brasileira tanto numa forma positiva quanto numa forma negativa, com a alta do dolar a importação torna-se mais honerosa, exercendo uma presão para a alta da inflação devido ao almento dos preços nos produtos importados. em contrapartida há uma melhora na exportção nacional, porque os produtos ficam mais competitivos no mercado global.

    Cabe ao nosso governo saber adminstrar as circunstâncias!

  • Mário S&eacut

    Nervosos não, cautelosos e vigilantes sim. Pois a economia muda em questões de minutos e varios paises mostram interesse na redução desta crise. Vale lembrar que nossos governantes afirmam que tudo esta sobre controle.(Estou acreditando neles.)

    Assistindo ontem entrevista com FHC o mesmo comparou esta crise com a de 1929. Porém hoje os procedimentos para retomada da Economia Mundial são mais ágeis e eficientes.

  • nayara

    Concerteza. Ja que a crise americana ( por ser a maior economia do mundo )leva completa insegurança aos investidores como um todo. Esses investidores procuram um mercado digamos "seguro" pra investir e o Brasil, por mais "estabilidade" que ofereça, nao consegue atrair esses investidores ou segura-los aqui por ser um pais emergente, o que só por ter essa classificaçao ja gera uma leve insegurança. Entao numa crise como essa claro que os investidores vao procurar um país com uma economia mais forte.

  • Luciana Oliveira

    Claro, o país estando em crise vai fazer com que o Brasil diminua por exemplo as exportaçoes, e diminuindo as exportaçoes automaticamente o quadro de funcionários dessas empresas váo diminuir e uma coisa puxa a outra, ou seja, o consumo de importados sairá mais caro, a economia (rentabilidade) do país vai cair e para suprir isso o juros com certeza vai aumentar juntamente com os emprestimos e todos outros setores.

  • Marcia

    Com certeza! Mesmo se fosse resolvido hoje o problema nos EUA, já iriamos sentir a diferênça no bolso por menor que fosse, como dizem algumas autoridades: "Se o EUA espirrar o mundo treme."

    E Pelo simples fato de não sabermos até onde vai essa crise financeira desencadeada nos EUA, uma vez que precisamos desses capitais externos investidos na nossa bolsa de valores caso contrário um dos problemas que podemos enfrentar é o aumento da inflação.

    Acredito também que existe um outro ponto preocupante que pode tornar a situação ainda pior, como não é possível prever o fim dessa crise, será que o Brasil possui salvaguarda necessário? E até quando? Estamos perdendo investidores e aí? Temos também as exportações que podem ser afetadas se essa crise se agravar ainda mais. Por esses motivos dentre outros devemos nos preocupar sim.

  • Pedro Ulhôa

    Concordo em todos os aspectos no que foi falado a cima, acredito que essa crise vem acontecendo por causa da ambição das potências mundias e assim prejudicando os países em desenvolvimento que dependem da estabilidadade da moeda para poderem progredir e dando uma segurança para novos investidores e assim retardando todo o processo.

    No mais, se algo não for feito ocorrera a chamada "bola de neve" que desestruturará toda economia mundial e assim poderá causar situações piores…

  • Christian

    Desde a crise de 29, onde ficou explicito a nossa relação com o EUA, notou-se que qualquer abalo que ocorra no mercado externo, intervem diretamente em nossa ecônomia, tendo por base que os EUA são um dos nossos principais compradores.

    Sendo assim, é preocupante a "quebradeira" enfrentada em tal mercado, pois com a fulga dos investidores das bolsas mundiais, faz com que haja um aumento do dolar além de gera um colapso na ecônomia global, o que esta sendo vivenciado nestes ultimos mesês.

  • Camila Roriz

    Entrem nesse saite e observem como a queda da economia nos EUA está afetando todo o mundo.

    http://economia.uol.com.br/cotacoes/ultnot/2008/0

    " A Bolsa de Tóquio caiu ontem 5 %, seu menor nivel nos ultimos 3 anos".

  • Cezar Roncetti

    Sem duvidas a crise nos EUA afeta o Brasil.Partindo do ponto que com a crise por lá o capita americano investido no nosso pais apresenta queda e com isso a nossa moeda se desvaloriza e consequentemente a inflação sobe e assim segue a corrente.Temos que entender que a economia mundial e totalmente interligada,e vale ressaltar que não estamos tratando de uma crise em um pais qualquer do mundo,e sim os Estados Unidos.

  • Camila Roriz

    Sim. Essa "quebradeira nos EUA" já começou, afetando a bovespa, que logo, logo afetará o nosso bolso. Afinal o real está caindo e a inflação está subindo.

    "Não tem como ficarmos tranquilo, se está quebrando a economia nos EUA, começa a quebra aos poucos a economia no Brasil e também no mundo todo".

  • Emiliano Rezende

    A crise econômica dos EUA está com certeza afetando todo o sistema econômico mundial, além da desvalorização das commodites e a insegurança do investidores internacionais de injetarem seu valioso dinheiro no nosso país, faz com que as bolsas de valores fecham em baixa e consequentemente tem uma desvalorização do Real e com isso o aumento do dólar e da inflação e com isso devemos nos preocupar, sim, não achando que o Brasil esta fora de risco de sofrer graves consequências.

  • Filipe Mageski

    Sem dúvida! O capital estrangeiro é inibido com a crise americana, afetando a economia brasileira de várias formas, no que se refere a investimentos financeiros e comerciais.

    Exemplo: A queda gigantesca da Bovespa; a maior dos últimos sete anos.

  • Gabrielle

    Acredito que devemos ficar nervosos sim, pois a economia é algo internacional sendo assim afeta todo o mundo, e creio que o reflexo dessa "quebradeira dos EUA" logo iremos sentir no bolso

  • Sel

    Acredito que sim. Para mim não existe essa história egoísta de "O problema é lá, não temos nada a ver com isso.."

    Mais cedo ou mais tarde esse tipo de mudança acaba afetando nosso bolso também.

  • Giovanni Cardoso

    Sim. A queda na bolsa, proporciona a fuga de capital estrangeiro, fazendo com que o real seja desvalorizado. Com o real desvalorizado, os valores dos produtos importados ficam mais elevados, consequentemente aumentando a inflação.