Modalidades de Pagamentos no Comércio Exterior: Pagamento Antecipado.

Dia 28 de janeiro é o dia do comércio exterior.  Uma data muito especial para todos os profissionais da área, e pelo fato de o comércio exterior ser o motor de qualquer economia em crescimento.

E hoje vamos falar sobre um assunto extremamente relevante: pagamento no comércio exterior.

As modalidades de pagamentos no comércio exterior.

Ao decidir por importar ou exportar um produto, primeiro é preciso saber qual será a forma de pagamento para esta operação.  E este recebimento/pagamento deve ser feito em uma moeda livre conversibilidade e aceitabilidade, e que obrigatoriamente passará por uma operação de câmbio.

Já discutimos aqui neste blog uma visão geral dos meios de pagamentos internacionais. Hoje, trabalharemos especificamente sobre a forma de pagamento antecipada.

Com o crescimento das transações internacionais, a principal preocupação dos exportadores é com o recebimento dos valores que terão das suas exportações.  É possível afirmar que o sucesso desta transação comercial será resultado da avaliação entre os riscos e os custos envolvidos na forma de pagamento.

E a modalidade de pagamento mais atraente e segura para o exportador é a Antecipada.  Entende por Pagamento Antecipado quando o valor pactuado, seja integral ou parcialmente, é enviado ao exportador antes do embarque da mercadoria.  Informações relevantes sobre a operação são detalhadas em uma Fatura Proforma e/ou um contrato comercial assinado previamente.

Porém, não se pode dizer que esta modalidade de pagamento é mais atraente para o importador.  Todo o risco da operação, principalmente o comercial e o possível atraso pelo embarque, é transferido a ele. Adicionalmente, o importador precisará de desembolso de capital para pagar pelas mercadorias, podendo comprometer seu fluxo de caixa.

TUDO sobre Importação

TUDO sobre IMPORTAÇÃO, sem mi-mi-mi, sem blá-blá-blá-blá, direto ao ponto. Quer se manter atualizado? Então Se inscreva nesta lista, é GRÁTIS.>

Como vantagem, o importador pode nesta modalidade se prevenir contra uma possível variação cambial desfavorável, além de futuros aumentos de preço do produto e uma remota possibilidade de negociar descontos no preço.

O pagamento antecipado é utilizado nas transações em que o exportador necessita de recursos para produção ou garantia de preços de matéria prima, ou entre empresas do mesmo grupo ou com larga tradição comercial entre ambas. Ou ainda, quando há um forte poder de barganha por parte do exportador, em que não aceita vender seus produtos em uma modalidade de pagamento diferente desta.

Simplificadamente, uma operação de exportação com pagamento antecipado acontecer da seguinte forma:

  • Depois de combinado a negociação, uma fatura (proforma ou comercial) é emitida, contendo, entre outras coisas, a forma de pagamento antecipada (ou uma parte deste pagamento sobre esta modalidade);
  • Em seguida, o importador se dirige até um banco no seu país e efetua uma remessa financeira ao exportador, de acordo com a fatura comercial/proforma;
  • O exportador recebe estes recursos e dá início a operação de fechamento do câmbio.
  • Em seguida, com a carga pronta, providencia os trâmites aduaneiros de exportação e embarca a mercadoria;
  • Após o embarque, emite todos os documentos de exportação e remete diretamente ao importador, através de um serviço postal internacional;
  • Com a carga embarcada, o importador recebe os documentos e faz o acompanhamento da chegada no local combinado;
  • Quando a carga chega ao destino, de posse dos documentos originais, o importador providencia o desembaraço aduaneiro e retira a mercadoria.

Especificamente no caso brasileiro, o exportador deverá ficar atento aos prazos para antecipação dos recursos e para embarque de mercadorias, definidos pela legislação cambial.

Em outros post, discutiremos as demais modalidades de pagamentos, suas vantagens e desvantagens para cada um dos envolvidos.

2 Comentários


  1. Professor, boa noite. Poderia explicar melhor a frase a seguir:
    ‘Especificamente no caso brasileiro, o exportador deverá ficar atento aos prazos para antecipação dos recursos e para embarque de mercadorias, definidos pela legislação cambial.’

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *