A atual crise na economia mundial e o Brasil

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Por Carlos Araújo @comexblog

Esta discussão foi iniciada com meus alunos no curso de comércio exterior, e vai terminar aqui. Vejam as notícias abaixo:

Notícia do UOL (1): Agências cortam rating e AIG fica perto do colapso – As três principais agências de classificação de risco do mundo rebaixaram os ratings de crédito da American International Group (AIG), frustrando as esperanças de se salvar uma das maiores seguradoras do mundo em meio à escalada da crise financeira.

Notícia do UOL (2): Incerteza sobre gigante de seguros AIG derruba Bolsas mundiais – O destino do gigante americano de seguros AIG, que, assim como o banco de investimentos Lehman Brothers, pode se ver obrigado a pedir concordata, estremece nesta terça-feira os principais mercados financeiros do mundo, já abalados na véspera.

Notícia do UOL (3): Lehman Brothers anuncia que vai pedir concordata – O Lehman Brothers anunciou que pretende pedir concordata na Corte de Falências do Distrito Sul de Nova York. O quarto maior banco de investimentos dos EUA informou que seu conselho de administração autorizou o pedido de concordata a fim de proteger seus ativos e maximizar seu valor.

Notícia do UOL (4): Crise nos EUA deve afastar investidores e ameaça até o PIB do Brasil – A crise financeira nos Estados Unidos, agravada pelo pedido de concordata do Lehman Brothers, o quarto maior banco norte-americano, deve impedir que a Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) retome os 52 mil pontos nesta semana. A avaliação é da economista da Tendências Consultoria Alessandra Ribeiro.

Notícia do Terra (4): Alimentos aceleram queda e inflação pelo IPC-S diminui – Refletindo um ritmo mais forte da queda dos custos de alimentos, a inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) voltou a desacelerar na segunda prévia de setembro. O indicador teve variação positiva de 0,04%, seguindo a alta de 0,20% registrada na primeira leitura do mês, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

Notícia do Terra (5): Queda da Bovespa supera 6% por colapso de banco nos EUA – A Bolsa de Valores de São Paulo ampliava as perdas na tarde desta segunda-feira, seguindo a tendência de Wall Street, que refletia o temor de quebradeira no sistema financeiro dos Estados Unidos. Às 16h41, o Ibovespa apontava queda de 6,88%, aos 48.786 pontos. O giro financeiro era de R$ 5,8 bilhões.

Como podemos ver, as bolsas mundiais estão refletindo todos os problemas internos dos EUA. E a Bolsa e o câmbio já começaram a dar sinais negativos, apesar do ministro Mantega falar que estamos “preparados”. Entretanto, a Inflação está em ritmo de queda, como podemos ver a pesquisa da Fundação Getulio Vargas.

Então, uma pergunta para discussão: Devemos ou não ficar nervosos com esta crise dos EUA? Dê a sua opinião.