DU-E: ELA NÃO ACABA COM O DESPACHANTE ADUANEIRO

DU-E

DU-E. Hoje eu quero bater um papo com você, despachante aduaneiro, que ainda tem dúvida se a DU-E (declaração única de exportação) vai reduzir (ou acabar) como serviço do despachante aduaneiro.

Você acredita que a implementação da DU-E é um problema para o despachante aduaneiro, e que ele vai ficar sem trabalho?

Eu não acredito.

O despachante continua com a sua importância na logística aduaneira, que envolve todos os procedimentos de liberação aduaneira (antes, durante e depois da liberação alfandegária), e a simplificação dos lançamentos de dados traz enormes benefícios ao profissional.

Fica comigo que vou te mostrar que você não deve ter medo da DU-E.

DU-E (DECLARAÇÃO ÚNICA DE EXPORTAÇÃO)

Desde 2017, quando começou a DU-E (declaração única de exportação), documento eletrônico da Receita Federal que eliminou o Registro de Exportação, a Declaração de Exportaçãoe a Declaração Simplificada de Exportação, o mercado começou a acreditar que a figura e a importância do despachante aduaneiro estaria no fim.

Muitas empresas de exportação, e principalmente aqueles despachantes aduaneiros mais céticos, acreditaram que o fim estava próximo, de que este prestador de serviço aduaneiro não seria mais necessário.

E por que muitos acreditaram nisso?  Porque a DU-E simplificou o processo de exportação, principalmente eliminando tarefas chatas, diminuindo a burocracia envolvida, permitindo que o processo sejam mais ágil e produtivo.

Mas a exportação inteira, principalmente as obrigações aduaneiras, resumem-se à DU-E?

É claro que não, e vou te mostrar o porquê.

O NOVO PROCESSO DE EXPORTAÇÃO

O Novo Processo de Exportaçãofoi lançado em março de 2017, e com ele veio a DUE – Declaração Única de Exportação, através da publicação da IN 1.702/17

A DU-E tem como base a nota fiscal,que ampara a operação de exportação, exceto nas hipóteses em que a legislação de regência dispensar a emissão desse documento.

Os controles aduaneiro e administrativo de uma exportação realizada por meio de DU-E são efetuados por intermédio de módulos especializados do Portal Siscomex.

TUDO sobre Despacho Aduaneiro

TUDO sobre DESPACHO ADUANEIRO, sem mi-mi-mi, sem blá-blá-blá-blá, direto ao ponto. Quer se manter atualizado? Então Se inscreva nesta lista, é GRÁTIS.>

REDUZINDO A BUROCRACIA ENVOLVIDA

Este processo foi importante porque teve o propósito de reduzir a burocracia envolvida.

Reduzindo etapas, eliminando documentos desnecessários, e com isso reduzindo o custo da operação, permitiu-se que as empresas exportadoras sejam mais eficientes, evitando a duplicidade de prestação de informações e acelerar o processo de exportação.

Muito bem: se eu diminuo a burocracia, torno o processo aduaneiro mais eficiente, e reduzo o número de informações no sistema, é natural pensar de que o exportador vai poder fazer tudo sozinho, resgatar e desembaraçar a DU-E, sem a necessidade de um despachante, correto?

Eu discordo desta afirmação, e vou explicar o porquê.

Primeiro, porque o processo de exportação não se resume apenas ao preenchimento de RE e DE, como era antes.

Existem quatro fases distintas que ocorre durante o processo de exportação: 1) comercial, 2) pré-embarque, 3) aduaneira, e 4) pós-embarque.

O despacho aduaneiro é apenas uma parte da Fase Aduaneira. Significa dizer que o exportador necessita de apoio em várias outras fases.

Segundo, que há inúmeras obrigações administrativas que não foram eliminadas, como  a logística do carregamento, o preenchimento do draft, a retirada do contêiner vazio e posteriormente a entrega no terminal, e qualquer erro deste pode custar muito dinheiro com correções, detention, perda de embarque e rolagem de carga.

Será que o exportador está atento e tem expertise para cuidar de tudo isso sozinho?  Será que a ‘economia’ de honorários de um despacho aduaneiro vai cobrir qualquer erros como estes que eu citei?

É claro que esta economia não vai cobrir erros com cartas de correção, detention, custo de rolagem da carga.

O despachante aduaneiro é um profissional com familiaridade nas normas e leis que regem o comércio exterior, e por isto é fundamental para o exportador realizar suas operações internacionais com tranquilidade, transparência e agilidade.

Um despachante aduaneiro é um profissional que atua de forma transparente, buscando opções logísticas com a melhor relação de custo x benefício, e que oferece segurança nas operações aduaneiras, e certamente será valorizado pelo mercado.

A DU-E é apenas uma parte do complexo sistema aduaneiro brasileiro, e o exportador necessita de apoio integral, sistêmico e consultivo de um profissional experiente em procedimentos aduaneiro.  E este profissional é o despachante aduaneiro.

ESTUDO DE CASO

Dito isso, agora deixe-me contar um pequeno estudo de caso, que aconteceu comigo recentemente, envolvendo uma situação similar a tudo que falamos até agora.

Há poucas semanas eu recebi uma ligação de uma amiga, informando que a sua carga já havia sido desembaraçada em um terminal Redex, na região de Santos, mas que precisa de uma ajuda para ‘entregar a documentação’ (algo muito simples, em suas palavras), já que o despacho estava finalizado.

Eu topei ajudar, e comecei as fazer as perguntas de praxe:

  1. Qual é o navio que estamos falando?
  2. Qual é o deadline de carga?
  3. Para quando está agendando a entrega dos contêineres no porto?
  4. Se o draft, VGM e ISF já haviam sido concluídos.

Para nenhuma destas respostas houve respostas convincentes, e eu já sabia que ela tinha feito  apenas a DU-E, e que se não atuasse rapidamente, os contêineres ficariam para trás.

Eu perguntei se as unidades estavam no terminal ‘de sempre’, e liguei para lá.

Em contato com a gerente de conta responsável, que tive todas as dúvidas respondidas, e pude fazer uma análise mais detalhada da situação.

Sem nenhuma surpresa, o deadline da carga era para o outro dia, o cliente ainda não tinha a programação de entrada e havia uma possibilidade muito grande de todos os contêineres ficaram para trás, gerando uma detention quase 3 mil dólares.

Foi conseguido uma grade extra de programação junto ao porto, colocar as unidades para dentro, e a carga não ficou parada em Santos.

Não foi fácil, mas teve a atuação de um despachante que conhece a logística aduaneira por inteira. Que conhece as 4 fases da exportação, e tem o foco de cumprir todas as etapas e não deixar nenhuma carga para trás.

Isso é uma demonstração clara de o quão importante é a figura do despachante aduaneiro. Não é somente o preenchimento da DU-E e sim a compreensão de todas as obrigações (antes, durantes e depois da liberação alfandegária) para embarcar qualquer mercadoria.

Este é um dos muitos estudos de casos que presencio com frequência em minha profissão, e que mostra que a DU-E veio para facilitar a vida de todos, e afirmar que o despachante aduaneiro não será extinto pela eliminação de alguns documentos eletrônicos.

NÓS PODEMOS TE AJUDAR

Aqui no comexblog nós temos um portal de ensino sobre comércio exterior, totalmente online, com vários cursos de comércio exterior, que poderá lhe ajudar a mudar de nível na sua carreira.

São treinamentos gravados, que você pode ver e rever quantas vezes quiser, mas com acompanhamento ao vivo.  Eu pessoalmente respondo ao suporte, e nenhuma dúvida fica sem ser respondida.

O futuro já chegou, e aqui no comexblog você vai poder sair na frente de todo mundo. Que conhecer estas oportunidades, com um preço incrível?

Acesse a este link e conheça a forma como transformamos a vida de milhares profissionais, de todos os cantos do Brasil e até do exterior, com uma linguagem dinâmica, ágil, simples e colocando a mão na massa.

Aqui a gente não enrola,  a gente ensina a prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *